quinta-feira, 30 de julho de 2009

O homem mata tudo que ele ama...

Você não percebe, mas eu estou morrendo a cada dia. E você apenas continua a me matar. Seu jeito não me agrada querido, pois você é a única pessoa na qual eu sou eu mesma...Acho que você é a pessoa errada. Vou voltar para o meu canto escuro e me por de lado um pouco. Não tente me achar, você não me conhece o suficiente para saber de onde eu vim... Estou no meu mar de lágrimas e você só fez me afogar mas...Agora minhas lágrimas secaram. (E eu fico tentando ser, o que eu nunca vou ser para agradar...) Não irei mas olhar para você quando passar por mim, pois eu temo me enganar, novamente e novamente... O meu amor não existe porque você não deixa ele existir... E eu sei que estou falando sozinha mais uma vez. (...)

sábado, 25 de julho de 2009

Além do Cemitério...

"Controle da mente, sentimentos deixados pra trás sonhando com ódio interior Eu criei um estado alternado da morte. Morto de medo, premonições homicidas o horror preenche vocês... Enquanto sua alma é arrancada de você Sonhando meu sonho de morte, Eu lanço o feitiço. Entrelace sua mente com a minha Sonhos viram realidade. Aguçando a imaginação. Assassinar é meu erro bobo. Matando gerações..." ...

Eu me tornei meu medo mais sombrio...

Passando um tempo longe, mexendo em papelada antigas procurando na própria mente confusa algo pra lhes mostrar. Imaginando o que todos querem ler...imaginando em como sou um fracasso... eu queria ser intendida, mas alguém me perguntou se eu intendo os outros. Sempre procuro o máximo compreende-los. Mais talvez nunca consiga... O meu medo apenas é de estar sozinha. mais nossa como eu sou egoista...eu sempre deixo os outros sozinhos. Já me disseram que sou falsa. E eu lhes digo, não mas que vocês...

"HOje pensar, raciocinar, ter senso crítico é algo sem valor, enquanto bundas e rimas promovem milhões de reais...."

Eu concordo com o cara que disse isso...Então vou parar por um tempo de raciocinar, um tempo de pensar, é algo sem valor. Sem conta que meus pesadelos nojentos agradão mesmo a leitura pavorosa de vocês...Se eu fosse conta todos. nuss...ganharia milhões. Sei fazer música com isso...Mais não os farei.Já tem Cannibal Corpse pra isso.

"Eles entram no seu túmulo - Vermes - Começando a festejar- Vermes Rastejando em você-Vermes-Agora eles te devoram- Vermes Vermes apodrecedores -Vermes- Infestando o seu cadáver Parasitas do Morto - Vermes -Agora eles vivem dentro de seu Crânio."

(Cannibal Corpse) Desculpem minha grande ligação com vermes... percebi que sempre falo deles... Qualquer dia paro para falar da minha vida melhor...Vocês vão gosta pois afinal. Ela uma Estória de terror! ...

quinta-feira, 23 de julho de 2009

As coisas como elas são.

Tempo de ser um pouco errado Se despreucupar com as coisas certas Mas o tempo é um pouco alheio as nossas vontades E sempre é tempo de coisas certas e se descpreucupar não é a melhor coisa...
[O desenho mal feito é meu...e o textinho tbm assim, como todos são. Dããã.]

domingo, 5 de julho de 2009

O verme: "diga-me algo bonito, Diga-me algo livre, Diga-me algo bonito E eu desejaria algo que posso ser"

Portas para o outro lado.

"Numas mãos ensanguentadas, um prazer quente de te ver morrer, de ver como os teus olhos ficam secos e suspensos no último rosto que irás ver, o meu. A tua morte entrelaçada nos meus dedos cheira a medo, mistura-se com o teu perfume a campo e príncipios de carne morta. O aroma delicia-me e abre-me o apetite de te matar uma e outra vez. Despedaçar o teu corpo e espalhá-lo pelos cantos da casa como ambientadores com cheiro a morte e pitadas de saudade. Com o teu sangue salpico as paredes dando lugar a um novo género de pintura, talvez um pós modernismo macabro, uma pintura feita de restos de ti. Amputo as mãos do teu cadáver e faço delas maçanetas para as portas da sala escura que tu detestas, aquela sala de paredes negras de humidade com apenas uma cadeira ao centro e uma mesa com um cinzeiro em repouso. Uma janela para o interior do meu próprio inferno pessoal. A tua carcaça irá servir de espanta espíritos..."


quinta-feira, 2 de julho de 2009

Meu caixão.

Hoje eu sonhei com você (ou será um pesadelo?). Você estava tão pálido, que eu via apenas dois pontos negros, que eram seus olhos, e eu estava com tanto frio ali. Aproximei-me de você e ao tocá-lo, senti um frio, mas forte; estava como uma pedra de gelo. Peguei um agasalho e pus em você, que não fez um movimento, e mantinha o olhar fixo no vazio. Vendo você assim, fiquei perturbada e comecei a chacoalhá-lo, mas você parecia estar morto, cai em prantos, mas lágrimas não desciam pela minha face, eu chorava, mas não havia lágrimas. Voltava a olhá-lo e você estava olhando para mim tão fixamente sem ao menos piscar e dos seus olhos escorriam lágrimas. Oh nossa! Lágrimas de sangue... Não entende o porquê daquilo tudo e pus as mãos no rosto para não vê. Mas de repente todo aquele frio desapareceu e havia vozes e choros. Assustada, tirei as mãos do rosto para vê o que era aquilo. E eu, me encontrava de pé em frente de um caixão, no cemitério, e várias pessoas desconhecidas, me curvei até o caixão para vê quem estava lá... E vi, eu me vi ali dentro, não era meu reflexo no caixão, era eu dentro dele... Dei alguns passos para traz, minhas pernas tremiam de tal forma que mal ficava de pé. Até que esbarrei em alguém, aonde na mesma hora virei para ver quem era, e era você. Com uma rosa não mão pronto para jogá-la sobre aquele caixão. E ao cair da rosa sobre o caixão, eu despertei... Desse pesadelo profundo.

Os seus segredos mas obscuros....

“Para um pouco e vê Olha o que eles têm para lhe oferecer Pequenas moedas de amor Vá, e compre sua dor...” As verdades ditas são como, mentiras não dita. Minha vida exposta ao mundo, minha morte escondida no escuro. Eu só quero você aqui agora, mas isso é muito para eu poder ter. Separo-me da vida agora para me juntar com a morte. Posso revelar para vocês agora como ela é. Será que vocês podem entender? Ela é fria, escura, solitária, mete medo... eu estou gritando, mas vocês não podem ouvir, simplesmente porque não á voz. E eu posso dizer a vocês; que o frio não existe é só a ausência de calor, o escuro não existe é só a ausência de luz, a solidão não existe é só a ausência de companhia, a morte não existe é só a ausência de vida... ______________________++++♥++++_____________________ Passivo/agressivo♪ Laçado por cordas e magoas Que não lhe permitem resistir Ele teve suas promessas quebradas Em vão, como todas elas são Por que você não confia mim? Por que você não acredita em mim? E me odeia e me ama e me joga no chão Por que você não confia em mim O amor em seu estado desprezível O homem é um monstro e a mulher é horrível Que tiveram suas promessas quebradas Em vão, como todas elas são Pendurado de cabeça para baixo Para baixo para onde eles vão e vão e vão Por amar você, odiar você Por amar você, eu vou ser você Por amar você, odiar você Por te querer, eu vou ser você” (Banda Maldita)

Bem vindos!

Se entendeu é porque era pra entender,
Se não entendeu é porque não era pra você ter entendido ...