domingo, 6 de dezembro de 2009

Encontrei o equilíbrio contejando a insanidade II

Enlouquecer o necessário para ser feliz...

Qual é o limite da loucura?

Quando somos loucos e felizes? E quando passamos o limite da loucura e nos tornamos paranóicamente insanos?
Será a loucura algo sem limite?
Fazer o que se quer, falar o que se sente, beijar e abraçar quando der vontade, chorar quando precisar, sorrir quando sentir e morrer quando tudo se calar...
Serão apenas os insanos felizes?

Tirar as máscaras, arrebentar as correntes, se livrar das cargas, dos medos e ser, apenas ser...

A insanidade pode ter dois lados. Expor seus medos, e ter assim que confrontá-los. Ressaltar à vida uma pitada de coragem e loucura e alcançar uma felicidade alternativa. Ou cair se deparando com a verdade de seu próprio eu e descobrindo o lado doente da insanidade.

Enlouquecer... se despir em frente ao espelho e enxergar profundamente. Ter a coragem de ser insano ou a insanidade de ter coragem de conhecer a si próprio, de se enfrentar e um dia vencer.

Ser louco, ser insano, ser sempre o que se é... ser feliz!

Até dez




"O sol está brilhando através das minhas mãos pode te queimar, pode te cegar quando foge dos punhos... Ele cai ardente em seu rosto ele cai dolorosamente em seu peito o equilíbrio é perdido... Ele te deixa ir duramente ao chão e o mundo conta alto até dez."

Bem vindos!

Se entendeu é porque era pra entender,
Se não entendeu é porque não era pra você ter entendido ...